fbpx

6 sinais de que você precisa investir em Employee Experience em 2020

Quanto mais uma empresa se preocupa com o bem-estar de seus colaboradores, mais ela aumenta seus níveis de engajamento. Esta é a conclusão de uma pesquisa feita pela MetLife com profissionais dos Estados Unidos.

A lógica é simples: um ambiente de trabalho agradável e saudável aliado à cultura organizacional consolidada inspira mais confiança dos colaboradores e seus líderes. Automaticamente, os profissionais se sentem mais felizes no trabalho também são os mais produtivos, gerando um círculo virtuoso na empresa.

Por outro lado, se você não investe em ações que valorizam o bem-estar de seus talentos e estratégias de Employee Experience correrá sempre o risco de perder bons profissionais para a concorrência. O turnover aumenta, o retrabalho de contração aumenta e os resultados da empresa começam a despencar.

Mas antes que seja tarde demais, é possível identificar sinais de que sua empresa está deixando a desejar na retenção de talentos. Melhor do que ‘correr atrás do prejuízo’ é atuar de forma preventiva, evitando que eles saiam e que a própria empresa sofra com isso. Por isso, reunimos neste por 6 sinais de que você precisa investir em estratégias de Employee Experience:

1) Você está perdendo novos talentos de forma recorrente

Apesar de todo o seu esforço em encontrar, atrair e contratar talentos qualificados para a sua empresa, eles não ficam por muito tempo?

Dê uma olhada no seu indicador de turnover dos profissionais recém-contratados. Se ele estiver muito alto está na hora de descobrir o porquê.

Como calcular o Turnover recente

Turnover recente = (rescisões de profissionais com até 6 meses de tempo de serviço ÷ quantidade de funcionários) x 100.

Exemplo: 2% = (2 saídas de pessoas com até 6 meses ÷ 100 funcionários) x 100.

Fonte: Gupy

Uma forma de evitar o aumento de turnover é fazer uma pesquisa com os colaboradores. Pergunte de forma aberta o que os faria sair hoje da empresa, quais são as sugestões deles para que a sua estratégia de retenção seja mais eficiente. Ouvir estes feedbacks será muito importante para que você possa criar um “plano de contingência”.

Baixe agora o e-book: 5 prejuízos causados pela saída prematura de colaboradores que você não calcula 

2) A performance, entregas e resultados diminuíram

Como foram os últimos balanços da sua empresa? E os registros de feedback dos líderes de equipe? Houve redução de performance por conta de queda na entrega de equipes? Então este é um sinal de que algo está errado.

Algumas metodologias para medir performance e resultados

OKR: O OKR (Objective and Key Results) é uma das metodologias mais usadas por empresas de tecnologia para definir e gerir metas. Uma das características interessantes é que pelo menos 60% dos OKRs devem ser definidos de maneira bottom-up: de baixo para cima.

Metas S.M.A.R.T: metas criadas no modelo:

  • specific (específica): define claramente o que deve ser alcançado;
  • measurable (mensurável): possui um viés quantitativa;
  • assignable (atribuível): estabelece quem será responsável;
  • realistic (realista): pode ser alcançada;
  • time-related (com prazo): define prazos para o alcance.

Outras métricas:

  • número de vendas efetivadas;
  • número de propostas emitidas;
  • quantidade de funcionários desligados;
  • faturamento da empresa;
  • valor da compra dos clientes;
  • quantidade de curtidas nas redes sociais;
  • investimentos em marketing e vendas;
  • faltas dos funcionários;
  • número de reclamações dos clientes;
  • quantidade de acessos ao site da companhia.

Fonte: eGestor

3) A equipe perdeu a motivação com as ações internas

Já está comprovado que equipes motivadas são mais produtivas. De acordo com uma pesquisa da Right Management colaboradores motivados chegam a ser 50% mais produtivos.

Mas aí vem a pergunta: como está a adesão dos colaboradores nas ações realizadas internamente? Está difícil contar com as pessoas da sua empresa?

Este pode ser outro sinal de que há falhas na motivação dos colaboradores. Algumas causas comuns para falta de motivação de colaboradores são:

  • Comodismo (e falta de desafios)
  • Descontentamento por conta de salário
  • Estresse, burnout e outras doenças
  • Falta de comunicação e confiança com os líderes ou superiores
  • Falta de propósito e clareza de objetivos e metas

Mas afinal, o que fazer para motivar os colaboradores?

Não basta oferecer os benefícios convencionais. É preciso investigar a fundo como anda o equilíbrio vida-trabalho de seus colaboradores, como está a integração entre deles com a equipe e o que está acontecendo com ele no ambiente de trabalho.

5 ideias para investir na qualidade de vida e retenção dos seus talentos

4) Os clientes começaram a notar queda na qualidade do serviço

O pior (e mais evidente) sinal de que você pode estar precisando dar atenção aos colaboradores é quando os clientes começam a nota queda na qualidade do serviço.

Colaboradores desmotivados tendem a desempenhar tarefas com baixa qualidade. Redobre o cuidado com os feedbacks de clientes, principalmente nas redes sociais e Reclame Aqui e garanta que os líderes estejam preparados para responder aos clientes, se necessário.

Vale ainda monitorar os índices e satisfação dos clientes de forma regular, por meio de pesquisas diretas para a base de clientes ou presenciais.

Promova pesquisas de satisfação interna para entender a percepção dos colaboradores sobre a empresa. Isso é essencial para prevenir problemas e entender como agir.

Vale a pena recorrer à plataformas como Glassdoor que mostram avaliações espontâneas de colaboradores (e ex-colaboradores) e criar outras estratégias para identificar como anda o clima organizacional.

5) O NPS ou avaliação da empresa está abaixo do esperado

O NPS (Net Promoter Score) é a evidência mais clara de como anda a satisfação dos clientes com a sua empresa. Para obter o NPS faça a seguinte pergunta aos seus clientes:

Em uma escala de 0 a 10, o quanto você indicaria nossa empresa para um amigo?

Classificação das respostas

Durante o processo de avaliação, os clientes são separados em três grupos:

  1. Notas de 0 a 6 – Detratores: são os clientes que ficaram bastante insatisfeitos com a compra do seu produto ou serviço. Eles provavelmente vão desmerecer sua marca em público e só voltariam a fechar negócio com sua empresa em casos extremos.
  2. Notas de 7 e 8 – Neutros: é o público que adquire os seus produtos/serviços somente por necessidade. Não são apreciadores e nem têm uma relação de fidelidade com a empresa.
  3. Notas de 9 a 10 – Promotores: são aqueles que notam que sua vida melhorou depois que compraram seus produtos ou serviços. São fiéis à sua marca, fornecem bons feedbacks e são verdadeiros representantes da empresa.

A fórmula para saber o NPS da sua empresa

Para chegar a classificação do NPS da sua empresa é preciso utilizar a sua fórmula. Só assim, ele poderá ser usado como indicador de desempenho — avaliando se o seu empreendimento aprimorou (ou não) seu convívio com os clientes durante um determinado período. A fórmula do NPS é a seguinte:

NPS = % de clientes promotores – % de clientes detratores

Com o resultado, é possível encaixar sua marca em quatro zonas:

  1. Zona de excelência: entre 75 e 100 pontos.
  2. Zona de qualidade: entre 50 e 74 pontos.
  3. Zona de melhoria: entre 0 e 49 pontos.
  4. Zona crítica: entre -100 e -1 pontos.

Fonte: DDS (Soluções em Tecnologia)

6) O índice de ausências por motivos médicos aumentou

A maioria das empresas não sabe lidar com os altos índices de burnout, estresse, ansiedade e até mesmo a solidão disfarçada de timidez. O que vemos é muito mais o movimento do “apagar incêndio” do que o de prevenção.

De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto de Psicologia e Controle do estresse realizada com 2.195 brasileiros, mais de 34% das pessoas dizem viver sob estresse extremo.

Estes números revelam uma incidência muito maior se comparada aos números da mesma pesquisa realizada nos EUA, onde 20% dos respondentes relataram este nível de estresse. A pesquisa ainda revela que apenas 2,86% dos entrevistados sabem lidar com seu stress de modo satisfatório. A maioria deles – 61,21% – disseram saber lidar apenas em parte com o stress.

Se o índice de absenteísmo – ausência do trabalho – principalmente por motivos médicos estiver alto, este pode ser um sinal de que você também precisa dar atenção ao que está acontecendo com a saúde de seus colaboradores.

10 livros sobre gestão de pessoas para ler em 2020

E-book: Onboarding – como encantar novos talentos em 5 passos!



Translate »